Laboratórios de inovação e negócios: entenda essa relação

Laboratórios de inovação e negócios: entenda essa relação

As mudanças no mercado de trabalho, que trazem formas mais dinâmicas de fabricar produtos e oferecer serviços já são uma realidade. Aos poucos, até as empresas mais tradicionais vêm dando espaço para estratégias diferenciadas. Uma delas é a construção de laboratórios de inovação.

Eles são lugares especiais para tirar do papel as mudanças que o negócio precisa. As novidades saíram do campo das ideias e se materializaram nesses novos ambientes das empresas. O fenômeno é impulsionado, principalmente, pelo desenvolvimento tecnológico e pelas novas gerações profissionais que estão surgindo.

Por seu potencial competitivo, os laboratórios são uma tendência em expansão em diversos países. Quer saber mais sobre eles? Confira as informações que trouxemos neste post!

O que são os laboratórios de inovação?

Imagine um lugar perfeito para você ter ótimas ideias e revolucionar seu trabalho. Como ele seria? Será que os melhores ambientes para isso são as tradicionais salas corporativas, com paredes brancas e móveis de escritório dispostos de uma maneira séria? Muitos empreendedores têm chegado à conclusão de que esse cenário não é o ideal.

O objetivo de um laboratório de inovação é exercitar a criatividade. Logo, é interessante que seja projetado um lugar que estimule a ampliação de pensamentos e a modificação de práticas. Se a regra é sair do lugar-comum, a estrutura da sala também deve se adequar a isso.

Assim, os laboratórios de inovação são espaços voltados ao desenvolvimento de grandes novidades para o negócio — seja em produtos, serviços ou processos administrativos. Institucionalizar uma equipe e um ambiente voltados para isso mostra o desejo da empresa em, de fato, investir na melhoria de suas práticas.

As salas disponíveis para inovação permitem reuniões criativas, planejamento de novas políticas e também desenvolvimento e testes de protótipos. Dessa forma, são canalizados recursos (financeiros e humanos) para analisar as demandas em diversos pontos de vista e encontrar soluções inteligentes.

Quem deve compor a equipe?

Em geral, não há muitos padrões em relação às pessoas que trabalham nos laboratórios de inovação. Podem ser escolhidos colaboradores da empresa ou realizada a terceirização desse serviço. Também é possível incluir funcionários das mais diversas áreas profissionais. Existe, ainda, a possibilidade de deixar o laboratório aberto para todos os colaboradores.

O importante é considerar as necessidades do negócio para tomar essa decisão. Além disso, diversificar é sempre uma boa alternativa nesse caso. O ideal é que seja uma equipe multidisciplinar, composta por pesquisadores, designers de produtos e especialistas em negócios, por exemplo.

A presença de um líder para gerir o grupo e mediar a relação da equipe com a empresa e com os clientes também é fundamental. O laboratório de inovação precisa ter sinergia com toda a organização. A criação e o desenvolvimento de projetos devem partir, necessariamente, dos interesses e demandas do negócio.

Qual é a estrutura do laboratório?

Quando se trata de inovação, a liberdade é uma palavra-chave. Por isso, também não há padrões estruturais para a construção e o design dos laboratórios de inovação. Eles são projetados de acordo com o perfil de cada empresa. Mas um ponto em comum que podemos citar é a modernização dos espaços.

Geralmente, o laboratório é um ambiente diferenciado, com arquitetura interessante e decoração acolhedora. A funcionalidade também é considerada na ambientação: os funcionários têm a seu dispor os recursos e materiais necessários para o trabalho. Isso vai desde mobiliário confortável até equipamentos tecnológicos, como impressoras 3D.

É aconselhável ter uma estrutura espaçosa, bem iluminada e agradável, que estimule a interação e motive a equipe. A presença de cores é uma característica comum, pois dá uma aparência dinâmica e estimula a criatividade.

E já que estamos falando de um espaço para novas ideias, é usual disponibilizar lousas, quadros com post-its ou paredes adaptadas para a escrita. A prática de expressar e visualizar a construção do pensamento ajuda o time a se organizar e planejar melhor.

Por que essa prática é uma tendência mundial?

Como falamos, o avanço da tecnologia trouxe mudanças significativas nas empresas e nos profissionais. As gerações que já iniciaram sua carreira dentro do mundo digital apresentaram maneiras diferentes de exercer a profissão e tocar negócios — com mais rapidez, criatividade e capacidade de arriscar.

Aos poucos, isso foi mudando o mercado de trabalho. Modelos inovadores para empreender têm inúmeras vantagens. Por isso, a inclusão dos laboratórios de inovação é uma tendência clara. Um dos principais benefícios dessa estratégia é a melhoria dos processos internos.

Dar espaço para a inovação marca uma nova cultura na empresa. Os colaboradores se sentem mais valorizados e motivados, pois há espaço para erros e grandes mudanças. A dinamicidade também promove maior integração entre os diferentes departamentos e aperfeiçoa a tomada de decisões, reduzindo custos.

O enriquecimento da experiência dos clientes com a empresa é outra vantagem. Afinal, em um mercado de trabalho agitado, é preciso inovar para manter sua marca em evidência na competição. Ter laboratórios de inovação para responder às novas necessidades está se tornando uma questão de sobrevivência.

Os resultados conquistados por experiências desse tipo têm demonstrado a validade da ideia. A Renault é um exemplo interessante: em 2011 foi criado um primeiro laboratório de 60 metros quadrados na França. Desde então, já existem mais de dez projetos em diversos países.

Empresas brasileiras possuem laboratórios de inovação?

Sim. O Brasil não está excluído dessa tendência mundial. E um dos exemplos mais promissores é de uma empresa que vem apresentando enorme crescimento nos últimos anos: o Magazine Luiza. Sem dúvida, os números positivos do negócio têm estreita relação com a abertura à inovação.

O laboratório da rede tem até nome — LuizaLabs. Em 2011, o projeto foi iniciado com um grupo de cinco pessoas. A procura por soluções tecnológicas é o forte da equipe, que, depois de garantir ótimo retorno para a empresa, se expandiu muito e ganhou até um prédio próprio para seu funcionamento.

As criações do grupo revolucionaram a relação do cliente com a empresa. Em todas as lojas do Magazine Luiza é possível, por exemplo, realizar uma compra com cartão diretamente na máquina que cada vendedor possui. Essa prática diminui muito a demanda por filas e aumenta a satisfação dos consumidores.

Esses exemplos chamam atenção para o diferencial competitivo de ter um time especializado em planejar e colocar em prática boas ideias. Os laboratórios de inovação são os melhores espaços para isso. Sem dúvida, é uma novidade que veio para ficar!

E então, gostou do nosso post? Para ficar em contato com conteúdos como este, assine a newsletter do blog!

Fechar Menu
× Como podemos te ajudar?